Comendatemplariadesetubal's Blog
Non Nobis, Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo da Gloriam

– Ser um Verdadeiro Templário

Não pode ser Templário um alheado dos problemas sociais; nem um omisso diante de uma estrutura social desumana e injusta; nem aquele que não atingiu a plenitude de sua maturidade como um ser responsável; e muito menos aquele que embora tenha atingido uma idade adulta, manifeste um desenvolvimento moral duvidoso.

Para se ser um Templário é preciso ser-se responsável e de bons costumes, capaz de decidir por si próprio em todas as oportunidades e circunstâncias da vida. Tem que ter um espírito crítico das realidades objectivas e subjectivas do mundo, e dos ambientes onde conviva, a fim de poder cumprir a sua missão transformadora e de aperfeiçoamento das estruturas injustas, escravizadoras e aviltantes para o ser humano. Deve ainda procurar afastar das trevas do subdesenvolvimento as populações exploradas por interesses dos gananciosos e poderosos que através da sua acção vil subtraem a vida digna dos seus semelhantes.

Para se ser um Templário, é necessário em cada instante da vida alimentar um ideal grandioso de amor ao próximo e lutar, onde quer que se encontre, por um mundo mais justo e mais humano, independentemente das consequências que lhe possam acarretar tal combate. Perante as dificuldades é preciso saber superar-se, e tanto mais que o Templário está convicto de que se vier a tombar no seu “bom combate”, outro Templário empunhará e conduzirá o seu Estandarte no “campo de batalha”. Por outro lado, ele sabe também que é preciso ser uma muralha solidamente alicerçada na sabedoria de uma luz maior, no conhecimento de uma filosofia de vida que objectiva o infinito, no cultivo incessante da Pureza, da Justiça e do Amor.

Para se ser Templário é preciso saber receber os Tesouros que descobrirá dentro da Ordem Templária e saber dividi-los com os seus irmãos, indistintamente, compreendendo que esses Tesouros aumentam de valor à medida que são distribuídos e que diminuem à medida em que forem mantidos egoisticamente para si.

Em suma, para se ser um Templário é preciso possuir um coração de Templário. É preciso saber ser grande na humildade e humilde na grandeza. É preciso entender que deve erguer Templos à Virtude, como deve saber suplicar à Divindade que afaste de si toda a impureza  moral e física. Pois, para se ser um Templário terá de assumir uma atitude de Templário, e como tal deverá ser Corajoso, Crente e Virtuoso em todos os momentos da sua vida.

Finalmente, todo aquele que se disponha a porseguir o grandioso ideal Templário, deverá colocar-se na vanguarda do amor ao próximo e ter Deus em seu coração, despertando e aperfeiçoando a sua consciência, purificando-se das fraquezas e imperfeições humanas, amando até o limite de suas forças a criação Divina.

Quem não possui tais qualidades ou não se disponha a adquirir e desenvolver tais condições, não poderá vir a ser um verdadeiro e fiel Templário.

 OP

%d bloggers like this: