Comendatemplariadesetubal's Blog
Non Nobis, Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo da Gloriam

– Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos

Todos nós ao nascermos recebemos um dom de Deus. Como nos diz São Paulo: «é o único Espírito que distribui os dons como Lhe aprouver». Todavia, podemos interrogar-nos, para que serve este dom que recebemos à nascença? Pois bem! Alguns utilizam-no para a sua vida quotidiana, profissional ou não, por exemplo, há pessoas que têm o dom de cozinhar e por isso tornam-se cozinheiras; outras possuem o dom de cuidar dos enfermos e tornam-se médicos e enfermeiros; outras têm o dom de ensinar, e tornam-se professores, e assim por diante. Outros ainda há que possuem dons que transparecem no seu dia a dia, como por exemplo, o dom da alegria, da paz, da bondade, entre muitos outros dons. Enfim, todos nós temos algum dom, dádiva dum espírito Divino.

Se prestarmos atenção aos dons que recebemos, vamos verificar que eles não se destinam a nós, são essencialmente para os outros. Os médicos, enfermeiros, cozinheiros, professores, entre outros profissionais, põem os seus talentos à disposição das pessoas. E muito mais do que o retorno financeiro, a sua maior alegria é ver aqueles que servem satisfeitos com o serviço que prestaram.

São Pedro diz-nos claramente que devemos colocar à disposição dos outros os dons que recebemos, e se assim o fizermos, vamos descobrir o sentido da citação: “há mais alegria em dar do que em receber”. Na verdade, esta citação precisa estar muito clara dentro de nós, uma vez que precisamos de ter prazer em servir o próximo, e fazer com que o nosso dom realize aquilo que lhe é próprio e dele se espera. São Pedro exorta-nos também a exercer o dom como se fosse o próprio Deus agindo através de nós. Já imaginaram isso? Cantar, tocar, interceder, como se fosse o cantar, o tocar e o interceder do próprio Deus? É com esse intuito que devemos exercer os nossos dons, na expectativa de que Deus aja através de nós para que com ele possamos construir um mundo muito melhor, mais fraterno e igualitário.

O grande apóstolo indica-nos também, que ao exercermos o nosso dom, devemos ter a consciência de que a capacidade para o exercermos é proporcionada por Deus. Deste modo, já estamos capacitados para entender o provérbio que diz: “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”. E como adianta São Pedro: “para que em todas as coisas Deus seja glorificado”.

Portanto, ao serviço da humanidade devemos dar o nosso melhor; devemos colocar o nosso dom à disposição dos outros; devemos também fazer tudo com grande empenho e humildade; na certeza de que a Divindade nos irá capacitar para agir através de nós.

OP

%d bloggers like this: