Comendatemplariadesetubal's Blog
Non Nobis, Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo da Gloriam

– A Confiança no Poder de Deus

  

 

 

 

Deus é dia e noite, Inverno e verão, guerra e paz, abundância e fome. Transforma-se como o fogo em que se misturam aromas. Cada um o nomeia como quer.

Heráclico de Éfeso, Grécia antiga, cerca de 540-480 ªC.

 

De todas as vigas mestras que sustentam os princípios filosóficos da Cavalaria Espiritual, a confiança no poder de Deus talvez seja aquela que sustenta todas as demais. Pelo que considero ser esta a mais forte de todas as vigas filosóficas, uma vez que sem o suporte desta, dificilmente as outras resistiriam às vicissitudes e iniquidades humanas que surgem no dia-a-dia. 

O Cavaleiro Espiritual confia em Deus, sem nenhum fingimento, reserva, ou subterfúgio. Pois, está ciente de que com as suas próprias forças fracassará num qualquer amargo de vida, e que por consequência desta sua fragilidade, acabará por deixar de confiar em si e nos Homens. Pelo, que confiando no poder de Deus, de quem espera o socorro e a protecção nas horas difíceis, acabará por acreditar que há sempre um futuro, não apenas para si próprio, mas para todo o Ser Humano. Pelo que ao confiar no poder de Deus o Cavaleiro Espiritual, faz com que Este reine no seu coração, iluminando-o para o caminho certo, ao mesmo tempo que o ajuda a discernir entre o caminho que o conduz ao Bem e a senda que o conduz ao mal.

Tal como o profeta Isaías pregou, quando se referiu à grandeza de Deus e à confiança que o Homem Nele deveria ter: “os que esperam no Senhor, adquirirão sempre novas forças, tomarão asas como as da águia, correrão e não se fatigarão, andarão e não desfalecerão”. Na verdade, é muito singular que o Profeta Isaías compare os que confiam em Deus com o voo das águias. Pois estas têm uma forma muito peculiar de enfrentar as tempestades. Quando se aproxima uma tempestade as águias limitam-se a abrir as suas asas, e voam em direcção ao alto, onde o Sol por cima das nuvens escuras brilha majestoso e sublime. Claro que nesta luta titânica podem perder algumas penas, podem até mesmo ferir-se, mas elas não temem o perigo, e temerárias voam sempre em direcção ao alto, cada vez mais alto. Depois, enquanto todas as criaturas vivas ficam mergulhadas na escuridão molhada da Terra, elas pairam nas alturas vitoriosas e em paz num brilhante céu azul.

Por outro lado, a ausência de fé numa Divindade Criadora facilita no Homem o aparecimento do medo, da angústia, da ansiedade, da tristeza, da desilusão, do egoísmo, da infelicidade e dos demais sentimentos negativos, que povoam as mentes fracas, frequências mentais que destroem e aviltam a dignidade Humana. Pelo que tanto a fé no Deus Criador, como o trabalho em benefício da família Humana e a firme vontade de caminhar na senda do Bem, constituem a base da satisfação e da felicidade de qualquer vida Humana. 

Todavia, se reflectirmos na confiança da águia, em que crê que para lá do tecto negro brilha um radioso Sol, será racional acreditarmos na existência do Deus padrão? Poderá apresentar-se uma boa razão, ou um argumento plausível a favor da sua existência? Alguns teístas dizem que não, e baseiam a sua crença na fé, ou seja, acreditam sem provas ou razões que provem a sua existência. Por outro lado, outros teístas pensam que se podem construir argumentos para provar que o Deus padrão existe. Em que ficamos então?

Qualquer que seja a verdade, tal como a majestosa águia que voa nas alturas em paz e em tranquilidade, quando o Cavaleiro Espiritual contempla a Natureza que o rodeia, o verde das plantas, o azul cinzento do horizonte, essa cor parda e mística que se funde e matiza a terra com o mar, que à noite è cor de prata e contrasta com a cor do céu cósmico pontilhado por um sem número de pontos cintilantes; só pode encontrar uma grande serenidade, que lhe invade o espírito e faz com que a voz subtil que habita no seu peito se faça ouvir. E é nela que sentirá a presença de Deus!

Então! Se Deus se manifesta na Natureza, no ar que respiramos, no Cosmos e em todo o Universo tangível e intangível, o que poderá significar crer-mos na ajuda permanente dum Deus metafísico? O que poderá significar ter-mos uma consciência da Sua presença constante? Depois de nos cobrirmos com o manto do silêncio, e de termos trabalhado sobre a espada tempo suficiente, chegamos à conclusão que conhecer Deus é vivermos com Serenidade e Paz Interior. Conhecer Deus é enchermo-nos de Felicidade, e com esta, transbordarmos a nossa alegria para todos aqueles que nos estão próximos, ou que connosco convivem. E, é tão simples encontrarmo-nos com Deus, basta obedecermos às leis divinas, amando a Humanidade, sentindo o pulsar da Natureza, renunciando à vontade pessoal, aos apegos, aos pensamentos e aos sentimentos negativos. Se assim proceder o Cavaleiro Espiritual, estará apto a encontrar Deus no seu templo do silêncio. Pois, Deus habita no seu coração.

Assim, consciente da presença de Deus, o Cavaleiro Espiritual não hesitará em cumprir a vontade e os desígnios Deste. Pelo que quando Deus o guia na direcção de um caminho, com satisfação e abnegação percorrerá esse caminho. Quando Deus o transforma num Cavaleiro Espiritual, com a mesma satisfação ergue a sua espada de luz e em seu nome procura a rota resplandecente da Verdade, do Bem, da Solidariedade e da Fraternidade, procurando deste modo estar sempre disponível para iluminar o caminho dos Homens livres, honrados e de bons costumes.

Mas, se o Cavaleiro Espiritual é criticado pelo que em Seu nome faz, humildemente recebe a critica. Se o que faz em Seu nome lhe trás um elogio, imediatamente dará graças a Este, porque apenas é um instrumento através do qual Deus faz o Seu trabalho. E, porque o Cavaleiro Espiritual sabe que quando Deus lhe ordena que faça algo em seu nome, Ele lhe dará a Sabedoria, a Força e a Beleza necessária para realizar a obra que Lhe ordenou, a executará com empenho e confiança, seja essa obra de execução fácil ou difícil. Pelo que ao proceder deste modo, o Cavaleiro Espiritual caminhará à luz do amor de Deus, da paz e da serenidade. É por esta razão, que encontramos, quando o Sol se põe, os velhos Cavaleiros da Luz a voltarem-se para Deus com os melhores pensamentos de agradecimento e de louvor, prontos para o receber de novo no Oriente. Pois ao viverem de acordo com a luz mais elevada que têm dentro de si, torna possível a distribuição de mais luz.

O Cavaleiro Espiritual sabe que o Homem caminha para a essência Divina, como sabe que um dia este será deus em potência e em acção. Na verdade, depois do Homem ter vencido e dominado os quatro elementos, o Homem acabará por dominar o quinto elemento, que segundo os antigos alquimistas, consiste na energia primordial criadora do Universo. Pelo que somente com o Divino poder da “Sabedoria” e da “Força de Vontade”, o Homem poderá triunfar sobre o quinto elemento, para que em conformidade com a sua boa ou não utilização, descer aos infernais abismos, ou ascender aos galácticos céus. E, porque lhe foi legada a sabedoria Divina, o Homem culto e inteligente reflectirá que tudo o que vê, toca e sente é uma manifestação do Poder Criador Universal.

Assim, Deus, é a plenitude, a grandiosidade, a omnipresença e a omnipotência. É o Todo presente em tudo. Os universos e tudo o que neles houver são partes integrantes desse poder sem limites. A compreensão desta Verdade Absoluta simboliza a porta de entrada que dá acesso ao Templo de Luz que se abre ao Cavaleiro Espiritual. Pois, sem haver o reconhecimento de que tudo é manifestação do Único, não se pode ter a capacidade de abrir as portas do Santuário. É no interior deste Templo da Luz, que se sente a Beleza em tudo o que vemos e em tudo o que conhecemos, porque a Divindade está presente e está latente em tudo o que nos rodeia e em tudo o que podemos admirar.

Quando sentimos à nossa volta a presença da Beleza Divina, passaremos a reconhecer que fazemos parte no Plano da Vida, e com este reconhecimento encontraremos a Serenidade e a Paz Interior, que nos conduzirá à harmonia e ao bem estar. E tanto mais, que é por reconhecermos a nossa unidade com toda a Humanidade e com Deus, que nos tornaremos mais fraternos e mais felizes, ao mesmo tempo que garantimos um futuro grandioso esplendoroso para todo o Ser Humano.

Oliveira Pereira – KCTJ

 

 

 

%d bloggers like this: