Comendatemplariadesetubal's Blog
Non Nobis, Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo da Gloriam

– Simbologia do Brasão

Ordenamento Heráldico do Brasão de Armas

da

Comenda de Setúbal

 

 

Brasão de Armas: 

Escudo esquartelado:

I – campo de prata carregado de uma cruz grega pátea suspensa orbicular de goles;

II – campo de prata carregado de cinco escudetes de azur, os dos flancos apontados em abismo, sobrepostos cada um de sete besantes de prata dispostos em três palas de dois – três – dois, e de uma bordadura de goles sobreposta de dezasseis castelos de ouro abertos e fenestrados do campo;

III – campo de azur carregado de um castelo de prata aberto e fenestrado de púrpura, assente sobre um contrachefe ondado de prata e de sinople, com três peixes nadantes de prata, e flanqueado de duas barcas afrontadas, mastreadas e encordoadas de sable e veladas e ferradas de bolsas de prata, e de um chefe de ouro carregado de uma vieira voltada ao contrachefe e acompanhada de duas cruzes latinas suspensas equestres jacobitas e espatárias, tudo de púrpura;

IV – campo de prata carregado de uma cruz grega pátea entre ângulos suspensa de goles e vazada do campo.

Virol e Paquife de goles e de prata.

Timbre: Dois golfinhos saltantes de prata voltados em cortezia e abocando uma cruz grega pátea orbicular de goles por timbre.

Listel: branco com mote de legenda de elzevir latina de sable “A te multa exige ab allis pauca spera”.

 

 

 

Bandeira:

 

Pendão:

 

Simbologia:

 

Os esmaltes significam:

O Vermelho: a força interna, a energia potencial e o sangue derramado pelos antigos Templários.

O Azul: o zelo posto no cumprimento do objectivo, a lealdade aos princípios da Cavalaria Espiritual, a integridade e a justiça que presidem a todos os actos de um Cavaleiro Templário.

O Amarelo: a cor do Sol e da Terra, da riqueza do mel e das colheitas, da luz intelectual, da expansão, da eternidade divina; como representa também o espírito.

O Branco: a pureza, a simplicidade e o carácter sem mácula.

 

O escudo significa:

O Primeiro Quartel: Homenagem aos primeiros Templários, que com destreza e bravura realizaram o projecto templário, do qual veio a nascer a muito nobre Nação de Portugal.

O Segundo Quartel: Homenagem ao grande Rei Dom Dinis, que com astúcia e sabedoria soube impedir a dissolução da instituição templária em Portugal e a cedência do seu património ao papa e a Igreja, ao fundar a Ordem de Cristo, herdeira dos valores materiais e espirituais da Ordem Templária em Portugal.

O Terceiro Quartel: Homenagem à cidade de Setúbal, que deu nome à Comenda Templária.

O Quarto Quartel: Sendo a cruz da antiga Ordem de Cristo um dos símbolos de Portugal, que carrega um forte sentido de identidade nacional. Representa por isso não só a Nacionalidade, mas também a sublimação da consciência para atingir a deificação do espírito. O Princípio da História Transcendental, ou seja o Quinto Império.

  O Elmo significa:

 

Sendo na heráldica portuguesa o principal distintivo da nobreza, simboliza o carácter e os princípios de conduta da Comenda Templária de Setúbal. Está encimado com a coroa que simboliza a cavalaria, com as suas cores, vermelho e branco. Por sua vez, esta peça de armadura ostenta ainda um colar vermelho com uma risca preta ao centro, cores da OSMTH, com uma cruz da Ordem Templária na sua extremidade, que lhe confere a dignidade da cavalaria espiritual, cujo Elmo está de frente, para simbolizar a soberania da Comenda Templária de Setúbal, reforçado por grades na viseira, para protecção das tentações desviantes dos princípios da Cavalaria Espiritual.

O Paquife e Virol significa:

 

Sendo a Comenda Templária de Setúbal, uma organização que segue o espírito Templário, opta por sua, as cores Templárias.

O Timbre significa:

 Armado por dois golfinhos (em salto de emersão, virados um para o outro) a apoiar com a extremidade dos seus focinhos a Cruz Pátea dos Templários. Os Golfinhos simbolizam o rio Sado, a solidariedade e a entreajuda. Por serem animais aquáticos, simbolizam também a água, um elemento conotado com a vida e com a frutificação da Terra. Por outro lado, os Golfinhos vivem em águas profundas, donde podemos retirar simbolicamente que a imersão destes significa a morte, e que a sua emersão significa o renascimento. Pelo que os dois Golfinhos representados no Timbre estão em emersão com a Cruz Pátea na ponta dos seus bicos, simbolizando o renascer dos ideais Templários nas terras sadinas.

AOP

%d bloggers like this: